CulturaNews

Consecult faz primeira reunião itinerante e inicia discussões para modernizar FIC e Rema

Divulgação

“É preciso reconhecer o novo trabalho da Secult, de ir ao encontro do artista, onde é necessário estar. Agora estamos nos sentindo parte do Estado”. Essa fala do conselheiro e secretário executivo do Conselho Estadual de Política Cultural (Consecult), André Costa, deu a tônica da primeira reunião descentralizada do colegiado, realizada na cidade de Sumé, na região do Cariri.

Tão marcante quanto inaugurar o novo formato no cronograma de encontros do Consecult foi a pauta discutida e aprovada durante a reunião, na manhã da sexta-feira (28), na sede da Secretaria Municipal de Educação.

Os conselheiros aprovaram a distribuição, para as respectivas Câmaras Temáticas, dos trabalhos de revisão do Fundo de Incentivo à Cultura (FIC) e do Registro dos Mestres e Mestras das Artes (Rema). Também foi aprovado o cronograma das eleições dos novos membros do colegiado.

Essa foi a terceira reunião ordinária do Conselho neste ano. A próxima será no dia 25 de agosto, no formato remoto. Todas essas reuniões são transmitidas ao vivo pelo canal da Secult no YouTube.

Repercussão

A adoção de um cronograma de reuniões intercalando os formatos online (conselheiros em suas bases de atuação, participando em sala digital) e presencial (com os membros se deslocando até uma cidade pré-escolhida) foi tema de aprovação e elogios unânimes pelos integrantes.

Paula Wêndia, representante da regional onde está Sumé, disse estar alegre pela presença dos pares em sua cidade e reconheceu a importância de momentos assim para a discussão da cultura. “Agora, fica bem mais efetiva essa relação com as reuniões presenciais, para democratizar o acesso à cultura”.

Severino Bibiu, Milton Dornellas e Marcone Araújo seguiram a avaliação positiva, assim como Normando Vitorino, que agradeceu a acolhida proporcionada pela Prefeitura Municipal e reafirmou que as reuniões agora seguirão a lógica da descentralização, que é princípio da democratização de conhecimento e poder.

Profissionalização

Normando também destacou que é fundamental o profissionalismo dos gestores culturais e artistas: “Quanto mais profissionalismo desses setores, mais se ampliam as possibilidades, porque hoje há orçamento para a Cultura, que está deixando de ser a prima pobre”.

A conselheira Ana Neiry disse que profissionalizar a cadeia produtiva da cultura regional é fundamental, e sugeriu que os atuais Pontos de Cultura possam ser estimulados a formar uma rede que contribua com esse processo.

Secult Itinerante

José Alcione destacou o trabalho realizado pela caravana Secult Itinerante, que percorreu o Estado por duas semanas, levando informações e coletando sugestões sobre a Lei Paulo Gustavo e divulgando ações próprias da Cultura Estadual, como o programa ICMS Cultural e o projeto Arte na Bagagem, além da consulta para modernização do FIC.

O conselheiro Adriano Gomes avaliou que o perfil de itinerância nessas ações enriquece o debate cultural. E Dimas Ribeiro agradeceu à gestão estadual pela interação com artistas e as gestões municipais, além de lembrar o investimento feito pelo Governo do Estado nas atividades do Ciclo Junino.

Sebastião Braga agradeceu à Secult pelo apoio dado ao Arraiá da Bagaceira, em sua região, e disse que é importante que haja maior interação entre cultura, turismo e meio ambiente. A conselheira Conceição Mayara parabenizou a equipe da Secretaria, “em nome de todos os conselheiros”.

“Tivemos apoio”

Ao abrir o encontro de Sumé, o secretário de Estado da Cultura, Pedro Santos, pontuou sobre a necessidade e a importância da descentralização e explicou que o formato de trabalho, tanto do Consecult, como da Secult, só é possível pelo nível de apoio que a gestão tem recebido no interior do Estado.

“Sem o acolhimento e integração de vocês, não conseguiríamos”, avalia.

Nas Câmaras Temáticas

Antes de distribuir temas para discussão, o Conselho definiu o fluxo das matérias e o funcionamento das Câmaras Temáticas. Em seguida, foi repassada à discussão da Câmara de Financiamento o trabalho de elaboração de um pré-projeto de lei que vai modernizar o Fundo de Incentivo à Cultura (FIC).

Rosemberg Pereira, gerente do FIC, fez uma breve explanação sobre o processo de reformulação, que está em consulta pública. Há um formulário eletrônico na página da Secult-PB, no Portal do Governo, para coleta de propostas.

Formulário neste link:
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeIc8rp27Yj-xgbxMa84YnzSCPBZApZPZ08twshDH6QawZCKQ/viewform

O resultado dessa consulta pública, que permanece até 18 de agosto, também será remetido à Câmara de Financiamento.

Já a Câmara de Institucionalização terá o trabalho de discutir e apresentar um pré-projeto de lei para reformular o Registro de Mestres e Mestras das Artes (Rema), programa do Governo da Paraíba que reconhece em livro oficial os mestres repassadores de ofícios artísticos e culturais e lhes paga uma pensão vitalícia.

Hip Hop e Graduação

O secretário Pedro Santos disse que, em uma reunião na semana que passou, representantes do Hip Hop demonstraram interesse de ter assento no Conselho, o que só seria possível com a mudança do formato do Conselho.

“Teríamos que sair da composição regionalizada para uma representação setorizada. Mexe com a lei 10.325, que organiza o Consecult e é um tema que merece ser aprofundado”.

Pedro Santos também informou à plenária que a Paraíba terá sua primeira Graduação Pública em Gestão Cultural, projeto que está sendo gestado pela Secult em parceria com a UEPB.

Lei Paulo Gustavo

O secretário disse que a Paraíba está adiantada na organização política para a execução da Lei Paulo Gustavo: “Cumprimos todos os níveis de escuta exigidos pela Lei. Nesse processo, envolvemos mais de 1.500 pessoas”.
Ele reafirmou que cada Regional de Cultura terá dois escritórios para ajudar na implementação da LPG, levando assessoria e orientação a artistas e produtores culturais.
O último ponto discutido na reunião de Sumé foi o cronograma para as próximas eleições dos novos membros do Consecult. As inscrições de candidatos serão abertas em 18 de agosto e terminarão em 14 de setembro.

Ana Celia Macedo
Ana Célia Macêdo é bacharela em Comunicação Social, com habilitação em jornalismo, pela Uninassau João Pessoa (PB) e Teóloga pela Faculdade Internacional Cidade Viva (PB). É membro da Abrajet e da API. Por sete anos foi editora do site de Comunicação para o Turismo e revista O Concierge. Também idealizou e produziu o Fórum Estratégias Inteligentes para um Turismo Ágil (Eita). Ana Célia, adora contar histórias, viajar e escrever sobre suas experiências de viagens dentro e fora do Brasil e por causa disso criou o blog Minuto Turismo, onde também escreve sobre sustentabilidade, economia criativa, produção associada ao Turismo e sua cadeia produtiva. Simultaneamente, a jornalista atua como assessora de imprensa, bem como desempenha atividades de produção intelectual. Ela é pesquisadora no campo da inovação para o Turismo, seu projeto Guias de Turismo em Rede, foi selecionado para participar do Incoday, junto a outras 13 ideias de projetos de pesquisa e desenvolvimento em colaboração, do Brasil e exterior. O Projeto, ou seja, a plataforma “We Guide” (Solução para contratação do serviço do guia de turismo), também foi selecionada para compor as 12 startups iniciais do Parque Tecnológico Horizontes de Inovação em João Pessoa na Paraíba. Contato: ana@minutoturismo.com.br

Deixe um comentário